29 de set de 2011

Vitória Sobre o Pecado


Provocando-Lhe Náuseas!
Quando alguém atribui a si próprio o honroso título de‘cristão’, mas ‘diz que é impossível guardar a Lei de Deus’ e/ou não a guarda, provoca náuseas em nosso Salvador. “A mensagem de Laodicéia[Apoc. 3.14-22] aplica-se a todos os que professam guardar a lei de Deus, e contudonão a praticam.”[1]Poderia ser, por exemplo, aquele que não queria ficar nervoso e nem agredir; mas – sob forte provocação – descontrolou-se e agiu mal. Obviamente este não praticou a lei.

Em termos abertamente frisantes Jesus repreende a tentativa de se guardar a Lei por nossos próprios esforços, quando tenta-se produzir justiça própria, a partir do eu, confiando em nossa carne tendente ao mal:

“... estou a ponto de vomitar-te da Minha boca.” (Apoc. 3.16).

Há um comentário bíblico que afirma que: “A figura de vomitar da Sua boca significa que Ele não pode:

1º) “Oferecer a Deus as vossas orações ou expressões de amor.[Lembrou-se de Provérbios 28.9? ‘O que desvia os ouvidos de ouvir a Lei, até a sua oração será abominável.’ ‘Ouvir a Lei’ é mais do que concordar que está em vigor atualmente: significa cumpri-la pela fé no poder criador de Sua Palavra.][2]

2o) “Aprovar de forma alguma o vosso ensino de Sua Palavra ou o vosso trabalho espiritual. [Lições de estudo semanal da Bíblia, Sermões, Conferências, Estudos Bíblicos, Programas de Radio, TV, etc.][3]

3o) “Apresentar os vossos cultos religiosos com o pedido de que vos seja concedida graça.”[4] [Trata-se de uma repreensão terrível.]

O que significa ‘entrar no descanso’(Hebreus 4)?

“Destarte é que ‘nós, porém, que cremos, entramos no descanso’ [Hebreus 4.3]. E aquele que entrou no descanso, cessou também de suas próprias obras, assim como Deus o fez quanto às Suas. Antes que os homens aceitem plenamente a simplespalavra do Senhor, tudo deriva do eu. As obras da carne são apenas pecado; e conquanto os homens professem servir a Deus, e tenham ansioso desejo de fazer o certo, suas próprias obras nesse propósito são fracassos.‘Todas as nossas justiças [são] como trapo de imundície’. Isaías 64.6. Mas quando reconhece­mos o poder daPalavra de Deus, e sabemos que é capaz de edificar aqueles que nela confiam, então deixamos nossas próprias obras e permitimos que Deus opere em nós, tanto o querer quanto o fazer segundo Lhe apraz. Assim, todas as nossas obras são operadas nEle, e elas são justas. Isso é realmente repouso. O repouso que provém quando reconhecemos que a salvação não procede de nós mesmos, mas da Palavra que fez os céus e a terra, e que os sustém ...”[5]

Então ‘não ter ainda entrado no descanso’ significa estar ainda enfrentando as tentações SEM citar a Palavra de Deus. Se a vida de Cristo está na Palavra e esta Palavra é a fonte do poder, de fato, seria impossível guardar a LeiAPENAS se alguém não a citasse com fé, na hora da tentação! Se assim não fizermos, como teremos, por outra via, a ‘mente de Cristo’?

E se não quisermos mesmo citar a Palavra?
Bem, isto significaria que estaríamos dispostos a enfrentar a tentação por nossas próprias forças! Justiça própria! Antiga Aliança! Gera para escravidão de continuar pecando! ‘Tudo o que falou o Senhor, faremos, e obedeceremos’(Êxodo 24.7) por nós mesmos! “Temos capacidade para enfrentar sozinhos a tentação e vencê-la; não necessitamos do poder da Palavra para tanto.”

Estaríamos rejeitando a Justiça de Cristo Pela Fé na Sua onipotente Palavra, por preferirmos ‘as obras da lei’[6];estaríamos nos ‘aperfeiçoando na carne’. (Gál. 3.10, 3). Estaríamos depositando nossa confiança em nós, em nossa carne tendente ao mal, quando Jesus nos alertou: ‘Sem Mim, nada podeis fazer.’ (João 15.5). Amigo, legalismo é toda tentativa de produzir um comportamento cristão à parte de se citar a Palavra na hora da tentação. Preferirá você continuar sendo um legalista?

Neste caso a Bíblia não teria informações agradáveis para nós: ‘Assim diz o Senhor: Maldito o homem que confia no homem,[em si próprio, em suas forças] faz da carne mortal o seu braço, e aparta o seu coração do Senhor!’ (Jeremias 17.5).

Alguns tem, erroneamente, entendido que, por este versículo, o Senhor estaria tão somente ensinando a mútuadesconfiançageneralizada entre os homens! Neste caso, Ele estaria alcunhando de ‘maldito’ o filho que confiasse em seus pais! Como poderia ser ele educado, se não confiar nos pais e nos professores? O esposo deveria desconfiar da esposa, e vice-versa: como se manteria o casamento, se está fundamentado na confiança mútua? Sem esta a sociedade se desestruturaria: adviria o caos, que é o desejo que o inimigo teve ao assim distorcer este ensino do Senhor.

Percebe-se, claramente, que a desconfiança mútua não é o ensinamento bíblico, nem neste versículo e nem em parte alguma da Bíblia![7] Na verdade, é Deus quem promove a confiança entre os homens, que é o cimento que mantém a igreja ou qualquer outra sociedade unidas. É apenas a confiança cega que o Senhor desaprova.O fato é que este versículo aplica-se primeiramente aos que seguem seu líder religioso cegamente:

“Se a lealdade é uma virtude; a lealdade cega é um vício.”[8]

“O grande perigo de nosso povo tem sido de confiar nos homens e tornar a carne o seu braço. Os que não tem o hábito de examinar a Bíblia por si mesmos ou de pesar as evidências,confiam nos dirigentes, e aceitam as decisões que estes fazem, e assim rejeitarão muitos as próprias mensagens que Deus envia a Seu povo, se esses irmãos dirigentes não as aceitarem.”[9]

Há alguns que efetivamente seguem seus dirigentes cegamente. E estes líderes deles exigem que apenasouçam; não lhes é permitido nem pensar nem falar por si próprios – à luz da própria consciência iluminada pela Bíblia. Se estes expressarem suas próprias conclusões segundo seu entendimento, são repreendidos por seus líderes e, se persistirem, são disciplinados. Trata-se de uma escravidão religiosa.

O que também o Senhor está condenando é a atitude daquele que confia em suas forças, em si próprio, em seu ego, em sua carne tendente ao mal, pensando que, por suas próprias forças, é capaz de enfrentar a tentação. Então é uma maldição lançada também sobre aquele que espera vencer sem citar a Bíblia.

“Quando a Palavra de Deus é posta de lado, é rejeitado também seu poder de refrear as paixões pecaminosas do coração natural. Os homens semeiam na carne, e da carne colhem a corrupção.”[10]“Tudo o que não procede da fé é pecado.” (Rom. 14.23 up).

‘Obras da Lei’ x ‘Obras da Fé’

Por que seria ‘maldito’ o que almeja enfrentar a tentação por suas próprias forças, sua carne, sem citar a Palavra? Simplesmente porque será inevitavelmente vencido por ela:

“Todos quantos, pois, são das obras da lei, estão debaixo demaldição; porque está escrito: Maldito todo aquele que não permanece em todas as cousas escritas, no livro da lei, para praticá-las. (Gál. 3.10).

Se estes seriam malditos por desobedecerem – ‘os que estãona carne não podem agradar a Deus’ (Rom. 8.8) – por outro lado seriam benditos aqueles que confiam na onipotência da Palavra de Deus, e assim obedecem pela fé: ‘Bem-aventurado o homem cuja força está em Ti’ (Salmo 84.5), em Tua Palavra. São ‘obras da fé’!

Bem, parece-nos que o assunto está esclarecido. Se o amigo não estiver inclinado a enganar a si próprio, concordará que, conforme Rom. 8.4, há dois caminhos para se enfrentar uma tentação. Um que é desastroso e outro que é eficaz: “para que a justa exigência da lei se cumprisse em nós,

(1) que não andamos segundo a carne[andaríamos assim se não citássemos a Bíblia ao ser tentados; produziríamos ‘obras da lei’ – a desastrosa justiça própria];

(2) massegundo o Espírito”[pois citamos a Bíblia no momento da tentação. São as‘obras da fé’!‘Porque, embora andando na carne, não militamos segundo a carne, pois as armas da nossa milícia não são carnais, mas poderosas em Deus.’ (2a Cor. 10.3-5). ‘... não tendojustiça própria, que procede de lei(‘obras da lei’), senão a que é mediante a fé em Cristo, a justiça que procede de Deus, baseada na fé(‘obras da fé’).’ (Filip. 3.9)].

Conclusão

“Devemos perder inteiramente a confiança em nós mesmos, e depositar toda nossa confiança nAquele que é poderoso para salvar. A pessoa que é derrotada, caindo vez após vez em pecado, não está combatendo o bom combate da fé. Está combatendo o pobre combate da auto-confiança e da derrota.’[11]

“Quando aprendermos o poder de Sua Palavra, não seguiremos as sugestões de Satanás.”[12]

Vamos repetir: “Quando aprendermos o poder de Sua Palavra, não seguiremos as sugestões de Satanás.”

Há, então, uma maneira de não mais ‘provocar-Lhe náuseas’: Enfrentar o ego pela fé no poder da Palavra! E a propósito, qual é a sua escolha? Bem, se você escolher ser, e for, vitorioso sobre o ego, como reagirá o mundo a seu respeito?

[1]Review& Herald, 17.10.1899. Ênfase acrescentada.
[2]Nota do compilador.
[3] Nota do compilador.
[4]Testetemunhos Seletos, vol. 3, pág. 15.
[5]Ellet J. Waggoner, O evangelho na criação [A todo-poderosa criadora Palavra de Deus]. Ênfases acrescentadas.
[6]Você já seria capaz de distinguir entre as ‘obras da lei’ – condenadas em Rom. 3.28 – e ‘obras da fé’– aprovadas em Tiago 2.24? Se já, então entende que não existe a suposta contradição entre Paulo e Tiago. Se negativo, vide pág. 277.
[7]“Quando os homens mostrarem confiança em seus semelhantes, aproximar-se-ão muito mais da mente de Cristo.”(Testemunhos para Ministros, pág. 189).
[8]Ralph Larson.
[9]Testemunhos para Ministros, págs. 106-107.
[10]Parábolas de Jesus, pág. 41.
[11] Alonzo T. Jones, Lições de Fé.
[12]O Desejado de Todas as Nações, pág. 121. Ênfase acrescentada.

Fonte: blog megatomaz

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...