1 de dez de 2011

DDD – Discagem direta à Deus

“Telefonista, preciso uma ligação imediata para …
“O número do telefone, por favor”.
“Pois não. É … mas veja bem, é urgente”!
“Chamarei tão logo consiga uma linha”, responde a telefonista.
E os minutos se passam … cinco, dez, trinta …. Um tanto agitado, disca novamente.
“Telefonista, ainda não conseguiu? Srta.., por favor, é urgente urgentíssimo”.
“As linhas estão todas ocupadas, cavalheiro”.

Quanto tempo levará ainda para que o angustiado Senhor consiga falar com esse alguém que está distante?


Como é prática a discagem direta!! Fácil, muito fácil, e rápida … principalmente quando é DDD. “Como? Existe discagem direta a Deus? Que mistério é esse?”

“Nada de mistério; ainda há pouco usamos essa comunicação e pudemos conversar com o Rei do Universo. Foi muito agradável e animador. Toda vez que o fazemos sentimo-nos mais confortados, mais fortalecidos e mais calmos, e uma doce paz nos enche a alma.

Mas, esse privilégio não é nosso apenas; pode ser seu e de todos. As “linhas” nunca estão “ocupadas”; podem, às vezes, ter alguma interferência, ou, pior ainda, estar cortadas.

Perfeitamente. Estamos nos referindo à oração. A oração, como disse alguém, é uma reverente conversa com Deus. Na oração podemos falar com Deus, contando-lhe nossas alegrias espiritualmente bem sucedidas na vida, devemos dedicar tempo à oração.

DEUS OUVE AS ORAÇÕES

É possível que Deus, do Seu trono de glória e majestade, ouça nossas fracas vozes? As escrituras nos afirmam que sim. Dirigindo-se a Deus, o salmista escreveu:”Ó tu que escutas a oração, a ti todos os homens”. Salmo 65:2.

O próprio Deus, por ocasião da inauguração do templo que Salomão construiu, disse: “Estarão abertos os Meus olhos e atentos os Meus ouvidos à oração que se fizer neste lugar”. II Crônicas 7:15.

E Jesus exortou: “Pedi, e dar-se-vos-á; buscai e achareis; batei, e abrir-se-vos-á. Pois todo o que pede recebe; o que busca, encontra e a quem bate, abrir-se-lhe-á”. S. Mateus 7:7 e 8.

Deus deseja atender, mas quer que nós peçamos. Isto não significa que Deus desconheça as nossas necessidades. Ele sabe o que precisamos antes mesmo que Lho peçamos (S. Mateus 6:8). Mas Deus quer que reconheçamos a nossa dependência dEle, como S. Paulo declarou: “Ele é quem a todos dá vida, respiração e tudo mais”. Atos 17:25

“Ora se vós … sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais vosso Pai que está nos Céus dará boas coisas aos que lhe pedirem? ” S. Mateus 7:11.

Deus é infinitamente melhor Pai do que o mais extremoso dos pais humanos. Se os imperfeitos pais terrestres não enganam os filhos, muito menos o perfeito Pai celeste. Isto nos deve inspirar confiança.

QUE É ORAÇÃO?

Primeiramente, orar não é traçarmos planos para Deus seguí-los, mas reconhecermos quais são os planos divinos, aceitando-os para estarmos em harmonia com a Sua vontade.

Não é exigir que a vontade de Deus seja mudada, mas que a vontade de Deus seja feita. O principal objetivo da oração é que o suplicante se coloque em tanta harmonia com Deus que a vontade de Deus se torne a dele também. Então cooperará com Deus, em tudo que Ele desejar. Não estará tão preocupado com o que pediu, mas no que deverá fazer para cumprir a vontade de Deus. Ele aceita o que S. Paulo escreveu: “Porque aprendi a viver contente em toda e qualquer situação” Filipenses 4:11. Antes, agitado, impaciente; agora, resignado, contente. Ele sabe que está nas mãos de Deus e que Deus está realizando o Seu divino plano com ele e entenderá que “todas as cousas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus”. Romanos 8:28.

Tenhamos sempre isto em mente: A oração não muda a Deus. Ela muda a nós. Ela contribui para criar em nós a atitude de espírito que Deus aprova, e nos leva a apreciar e usar corretamente a benção recebida.

COMO ORAR

1. COM FÉ. “Tudo quanto pedirdes em oração, crendo, recebereis”. S Mateus 21:22. “Sem fé é impossível agradar a Deus”. Hebreus 11:6. Temos inúmeros exemplos de como Jesus recompensava a demonstração de fé: “Faça-se-vos conforme a vossa fé”. S. Mateus 9:29.

A fé é um requisito importante para uma oração ser atendida, mas o Salvador, que tanto nos ama, realizou um milagre por um homem que em desespero exclamou: “eu creio, ajuda-me na minha falta de fé”. S. Marcos 9:24.

2. SEGUNDO A SUA VONTADE. “E esta é a confiança que temos para com Ele, que, se pedirmos alguma coisa segundo a Sua vontade, Ele nos ouve” I S. João 5:14. Se não recebemos imediatamente do modo como pedimos, tenhamos a certeza que Deus ouviu e nos responde muito embora não seja exatamente como nós queríamos, pois, muitas vezes o que pedimos seria, no final, não benção mas maldição. Assim por vezes, na Sua sabedoria e bondade para conosco, Deus responde com um “Não”; por vezes Ele nos faz esperar, porque talvez não estamos preparados para receber a bênção. Temos o exemplo de Jesus no Getsêmani: “Meu Pai, se possível, passa de Mim este cálice! Todavia, não seja como eu quero, e sim, como Tu queres”. S Mateus 26:39. O que quer que Deus decida será o que mais nos convém.

3. PEDIR COM PERSEVERANÇA. A parábola do juiz iníquo, proferida por Cristo, salientou “o dever de orar sempre e nunca esmorecer” S. Lucas 18:1. Devemos perseverar orando, quando aparentemente a resposta demora. A bênção de Deus é às vezes retardada para que examinemos nossa condição e vejamos as falhas do nosso caráter, ou para nos provar a fé.

4. EM NOME DE JESUS. “E tudo quanto pedirdes em Meu nome, isso farei, a fim de que o Pai seja glorificado no Filho.” S. João 14:13. Pelo sacrifício de Cristo na cruz somos aceitos perante o Pai.

“Um soldado à morte, pediu ao seu companheiro que procurasse visitar seu pai, que, por ser muito rico, poderia pagar-lhe os estudos. “Mas, irá ele me receber”? perguntou o amigo. “Ó, sim! diga-lhe que está indo em nome de seu filho que morreu na batalha”. O companheiro assim procedeu. Quando o pai do falecido soldado ouviu ser pronunciado o nome do seu filho querido, correu para o rapaz recém-chegado e abraçou-o comovido. Recebeu-o com ternura e o tratou como filho”.

Assim nós seremos tratados por Deus o Pai, quando entre nós e Ele colocarmos a pessoa de Seu Filho Jesus. Orar em nome de Jesus significa mais do que simplesmente mencionar-lhe o nome no começo e fim da oração. Significa a aceitação do Seu sacrifício, a crença nas Suas promessas e o fazer as Suas obras.

QUE DEVEMOS PEDIR?

Devemos pedir perdão dos nossos pecados. Na oração modelo que Jesus ensinou a orar: “Perdoa-nos as nossas dívidas”. S. Mateus 6:12. Uma sincera confissão a Deus sempre traz perdão.

Para livrar-nos de pecar. “E não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal”. S. Mateus 6:13

Mais fé. Então disseram os apóstolos ao Senhor: “Aumenta-nos a fé”. S. Lucas 17:5.

Sabedoria para entender Sua Palavra. “Se, porém, algum de vós necessita de sabedoria, peça-a a Deus que a todos dá liberalmente … e ser-lhe-á concedida”. Tiago 1:5

Pelo próximo. “E orai uns pelos outros para serdes curados” S. Tiago 5:16. Devemos orar pelas autoridades constituídas, pela ampliação do reino de Deus na Terra. É digno de nota o fato de que na oração modelo que Jesus nos deu – o Pai nosso – há uma só petição por benção material. Todas as outras são pelo crescimento do reino de Deus – pela salvação de outros e pela nossa própria.

“Levai-lhe tudo quanto vos causa perplexidade. Coisa alguma é demasiado grande para Ele, pois sustém os mundos e rege o Universo. Nada do que de algum modo se relacione com a nossa paz é tão insignificante que o não observe. Não há em nossa vida nenhum capítulo demasiado obscuro para que possa ler; perplexidade alguma por demais intricada para que a possa resolver. Nenhuma calamidade poderá sobrevir ao mais humilde de Seus Filhos, ansiedade alguma lhe acossar a alma, nenhuma alegria possuí-lo, nenhuma prece sincera escapar-lhe dos lábios sem que seja observado por nosso Pai celeste, ou sem que lhe atraia o imediato interesse.”

O EXEMPLO DE JESUS

O Senhor Jesus orava constantemente. A Seu respeito está escrito: “Tendo-Se levantado alta madrugada, saiu foi para um lugar deserto, e ali orava”. S. Marcos 1:35. “Naqueles dias retirou-Se para o monte a fim de orar, e passou a noite orando a Deus.” S. Lucas 6:12. Na Sua humanidade o Senhor Jesus dependia do Pai. Disse Ele: “Eu nada posso fazer de Mim mesmo”. S. João 5:30. A vida perfeita que viveu e as obras que fez – tudo foi feito no poder do Pai. Do Pai provinham as palavras que falou. (S. João 8:28). Enquanto andou entre os homens foi Ele guiado pela vontade do Pai a cada passo. Por isso orava muito. Se Jesus assim dependia de Deus, quanto mais nós!

AGRADECIMENTO E LOUVOR

“Dando sempre graças por tudo a nosso Deus e Pai, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo.” Efésios 5:20 A oração não só para pedir, mas muito mais, para agradecer. Ao orarmos devemos tomar tempo para expressar ao Senhor a nossa apreciação por Suas inúmeras bênçãos, e nosso agradecimento por elas. O salmista apercebeu-se da bondade de Deus para com ele e perguntou. “Que darei ao Senhor por todos os Seus benefícios para comigo? ” Salmo 116:12. Há uma benção para nós em sermos gratos a Deus e dizer-lhe quanto O amamos.

CUIDADO – NÃO INTERROMPA A LINHA!

O que pode causar “interferência” na DDD? A contemplação de quadros obscenos é contrários à boa moral; ouvir música de baixo teor; conversa fútil e indecorosas; permitir que a mente se ocupe de coisas tolas e irreais. Se houver uma persistência nestas coisas, o “corte” será completo e fatal. “As vossas iniqüidades fazem separação entre vós e vosso Deus e os vossos pecados encobrem o Seu rosto de vós para que vos não ouça.” Isaias 59:2 Todo pecado de que temos consciência deve ser abandonado, ou Deus não nos pode ouvir. Se nos ouvisse quando persistimos em fazer o que Ele condena, Deus estaria encorajando o mal. “O que desvia os seus ouvidos de ouvir a lei, até a sua oração será abominável.” Provérbios 28:9

ORAÇÃO – UM PRIVILÉGIO

Muitos cristãos seguem o plano de um culto a Deus em família, de manhã e à noite. As escrituras são lidas e erguem-se preces ao Céu. Tais encontros no lar estreitam os laços de união entre seus membros e as bênçãos são inúmeras. Mais valiosa ainda que a oração em família é a oração secreta em que a alma se encontra a sós com Deus. “Na oração secreta a alma está livre das influências do ambiente. Pela fé calma e singela a alma entretém comunhão com Deus e absorve raios de luz divina que a devem fortalecer e suster no conflito contra Satanás.”

Está você ocupado demais para orar? Tem você permitido que as coisas materiais e o corre-corre da vida o privem da bênção da comunhão através da oração e meditação pessoal? Como está sua linha de comunicação com o Céu?

Que a sua experiência com Deus seja tão íntima que também possa dizer: “Obrigado Senhor, continuamos bons amigos!”

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...